Momento

As Cíclicas surgem num contexto bastante conturbado aqui na cidade. Quando surgiu a idéia, o contexto era outro… mas já no segundo dia de Cíclicas já havia acontecido o atropelamento em massa na Massa Crítica, da qual muitas de nós fazemos parte.

Tudo agora tá num prisma diferente, podemos dizer que se instalou um medo, que foi nos tirado uma alegria boa de acreditar que a cidade estava ficando mais orgânica…Agora estamos ainda mais atentxs, mobilizadxs, tensxs. Pelo menos temos tido coragem de continuar e canalizado estes sentimentos todos para ainda lutarmos por espaço e por ruas para as pessoas.

Ontem infelizmente mais dois ciclistas foram atropelados. E até o momento as informações que temos é de que Geovani Nunes e Ivanir Pereira pedalavam na Av. Assis Brasil, avenida larga, de 3 vias. Testemunhas dizem que o carro que trafegava sozinho pela avenida, ao ver os ciclistas, estes próximos ao meio fio, foi em direção a eles e os atropelou. Ao serem atingidos foram arremessados e caíram no pára-brisa do carro que acabou quebrando. As testemunhas dizem que o motorista fugiu deixando os dois “para trás” caídos no chão, parou uns metros a frente para puxar parte do vidro danificado, e que então partiu em alta velocidade.

Estamos todas e todos perplexos com mais esta atrocidade e precisamos muito agir com relação a estes absurdos. Assim como precisamos de solidariedade e engajamento.

Depois do atropelamento que sofremos apesar do receio e da insegurança, algumas de nós quiseram pedalar juntas no dia que havia ficado combinado. Foi no primeiro domingo do mês de março. Estávamos em dez e fizemos um caminho tranquilo, conversamos, em fim, conseguimos nos distrair um pouco…

As Cíclicas nascem em meio a tudo isso, mas pretendemos continuar nossa jornada.

José do Patrocínio com Luis Afonso…
no encontro de março.

Dia de Luta!

Não podemos esquecer que o dia Internacional da Mulher é dia de Luta, muito mais do que de comemoração.
É um dia para lembrarmos de que embora alcançados alguns avanços, a realidade não é equalitária.

A violência doméstica, a violência nas ruas, o assédio, a exploração  sexual, a diferença nos salários nas mesmas funções e a discriminação, são alguns exemplos do que passamos ou ameaças que temos que enfrentar. Mesmo que algumas de nós não sintam esses problemas, é importante nos solidarizarmos com as que sofrem.

O dia internacional em sí existe pra marcar esta luta, essa diferença de tratamento.

hoje em dia a luta muitas vezes é esquecida, e fica abafada pela comercialização de produtos e da imagem padronizada da mulher.

A bicicleta desde o século 19 tem sido um meio de libertação das mulheres, permitindo independência e lazer.

Sigamos pedalando e nos fortalecendo!

 

 

Cíclicas – POA

Bem vindx ao nosso blog!

Cíclicas é a bicicletada de mulheres/meninas aqui de Porto Alegre. A idéia de formarmos uma bicicletada exclusiva surgiu entre as participantes da Massa Critica daqui da cidade. Uma de nós um dia veio com a idéia: “que tal gurias fazermos um pedal só de mulheres como as Pedalinas de São Paulo?” E então começamos a conversar a respeito e muito rapidamente marcamos a primeira pedalada para o dia 20 de janeiro de 2011. Embora algumas pessoas não entendam o porquê de um pedal exclusivamente de mulheres, vamos aos poucos plantando esta semente e explicando nossas razões pedalando…

Percebemos que existia a necessidade de nos reunirmos e organizarmos para nos apoiarmos umas as outras e para incentivarmos que outras garotas usem a bicicleta. Hoje as cíclicas são quase todas participantes da MC, mas há novas garotas chegando, iniciantes ou menos experientes que estão se sentindo a vontade de participarem desta iniciativa! Este é o nosso objetivo e ficamos felizes do que já estamos atingindo! Cíclicas então não precisa de muito mais explicação, é na prática, no pedal, que aparece o porquê de existirmos!
Apóie, participe, junte-se a nós!